Trata-se de um profissional com uma abrangência de conhecimento muito diversificada, que vai além da clínica médica e cobre aspectos da epidemiologia, imunologia e as várias interfaces relacionadas aos processos infecciosos.
A especialidade Infectologia congrega médicos que estão inseridos em diferentes campos da assistência à saúde, podendo contribuir atualmente nas áreas hospitalar e clínica, na vigilância em saúde, no diagnóstico e enfrentamento das epidemias, no estudo das doenças emergentes e reemergentes, entre outras frentes.
Para tornar-se um infectologista, o graduado em Medicina deve participar de um programa de residência médica em Infectologia, credenciado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), e registrar o certificado obtido no Conselho Regional de Medicina do seu Estado, o que vale para qualquer outra especialidade médica.